Sessão Zumbi: Em "Evil Dead", Sam Raimi provou que era possível

Por Lyra Libero 23 de março de 2012 Editar postagem

Não é incomum, no mundo do cinema zumbi, um filme especialmente violento cair no gosto popular e ser sumariamente censurado. Assim como não é incomum um diretor hoje bem conceituado, ter iniciado sua carreira na prateleira dos filmes b de baixo orçamento. Evil Dead (Uma Noite Alucinante, 1981) possui esses dois elementos, e mais alguns fatores que fazem com que ele seja chamado de “pérola do terrir”.

Siga a Lyra no Twitter --> @meninalyra.

É porque Evil Dead, que posteriormente se tornou uma trilogia, é a primeira obra do diretor da primeira franquia de O Homem-Aranha, Sam Raimi, e que, ao cair no gosto da galera, rendeu ao diretor outros trabalhos. Devido ao grande conteúdo de violência a versão original foi proibida em vários países, como na Finlândia, na Islândia, na Irlanda e na Alemanha.

Evil Dead também provou que era possível. Na época, Sam Raimi havia acabado de sair da faculdade, e dispunha de orçamento baixíssimo para executar o que é hoje considerado o precursor dos filmes de terror.

Uma Noite Alucinante conta a saga de cinco amigos que vão passar a noite em uma cabana abandonada, onde encontram um estranho livro e uma gravação com as palavras da obra, encapada com pele humana e sangue. É claro que eles não sabem do que se trata, e os jovens acabam ouvindo a gravação, e assim, praticamente abrem “as portas do inferno”.


Zumbi Demônio pode, Bial?

Um a um, o “demônio” toma conta dos corpos dos amigos, sobrevivendo apenas um deles, Ashley (Bruce Campbell). Onde estão os zumbis? é simples: seus amigos, conhecidos, e sua namorada, simplesmente são tomados, perdem a consciência e se tornam criaturas violentas meio nojentas, de olhos vidrados. Ashley, o herói, é claro, desmembra todos, pois é o único jeito de não ser morto. Ou seja, nossos adoráveis zumbis estão ali, embora não tenham sido contaminados por nenhum vírus mortal ou tenham recebido poeira espacial que tenha reanimado corpos, ou qualquer outra causa de “zumbidificação”. São pessoas conhecidas que, mortas por um demônio, de transformam em criaturas predadoras sem alma/personalidade/sentimentos.


Evil Dead é um daqueles títulos para se apreciar sem ligar muito para as controvérsias em torno. A princípio, seria apenas um curta-metragem. Acabou virando um daqueles filmes que de tão ruins, são ótimos. É filmografia de terror pra dar umas risadas!


Assista ao trailer de Evil Dead:


Confira a análise no Rotten Tomatoes:

Foto
Autora
Lyra Libero, jornalista em jaqueta de couro, insomaniac, com banda de rock e leves tendências a filme b. Assina na coluna Sessão Zumbi. Saiba mais...
Feed Delicious Digg Facebook Twitter Orkut
  • Leia o artigo antes de chegar aqui.
  • Comentários com críticas construtivas, elogios e sugestões sempre são bem vindos. Mas educação é bom e aqui também é necessário. Se você não concorda com alguma coisa, saiba como fazê-lo.
  • NÃO ESCREVA EM CAIXA-ALTA.
  • Não coloque o link do seu blog dentro do comentário ou qualquer outro link, pois ele será editado ou apagado.
  • Os autores se reservam do direito de excluir comentários ofensivos, com palavrões, spam ou anônimos e de editá-los sem nenhum aviso prévio.
  • Não escreva em internetês, com miguxês ou com erros bizarros de Português.
  • Seja o primeiro a comentar!

    Postar um comentário

    ATENÇÃO, HUNTER!


    Para que a interação no blog seja a melhor possível, tenha em mente as seguintes regras:
    - Não poste como anônimo, pois seu comentário será EXCLUÍDO. Logue-se em algum sistema ou deixe nome e URL, que pode ser o seu Twitter;
    - Não ofenda, não use palavras de baixo calão, não escreva com miguxês, internetês e similares. Escreve no bom Português;
    - Isso aqui não é uma Democracia nem a casa da mãe Joana, pois comentários que estejam fora do assunto do blog, que venha com links, spam ou qualquer outra coisa que não esteja nos conformes, será EXCLUÍDO;
    - Não deixe seus links aqui. Isso não é página de recados;
    - Nossas postagens estão protegidas, leia a nossa Licença;


    Obrigada!